Notícia

07 de Agosto de 2017
Presente para os pais terá valor de compra maior pelo consumidor de Mossoró, aponta pesquisa

O Dia dos Pais, comemorado este ano no dia 13 de agosto, é uma das datas importantes para o comércio. De olho nisso, o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-RN), realizou, em julho, levantamento em Natal e Mossoró sobre a intenção de compras para a data. A pesquisa constatou que quase a metade dos entrevistados não pretendem presentear seus parentes, mas entre os consumidores, houve um aumento no valor médio que deverá ser gasto nas compras.

De acordo com o levantamento este valor médio gasto com presente será equivalente a R$ 100,28 em Mossoró (alta de 2,1% em relação ao ano passado já descontada a inflação). 53% dos mossoroenses pretendem gastar de R$ 51 a R$ 100 por presente. Outros 17% querem gastar entre R$ 100 e R$ 200. E aproximadamente 10% dos entrevistados pretendem gastar mais de R$ 200 em suas compras.

A forma de pagamento é também uma importante ferramenta para o planejamento de políticas de crédito e de caixa para os empresários potiguares. Neste contexto, o levantamento apontou que a preferência é pelo pagamento à vista e em cartão de débito.

Na capital do Oeste, 66% das pessoas pagarão o presente à vista no dinheiro/débito; 33,2% comprarão a prazo e usarão o cartão de crédito e menos de 1% optarão por outras formas de pagamento. Para os consumidores mossoroenses que pretendem comprar parcelado no cartão de crédito, houve queda de -7,2pp em relação à 2016.

 

Presentes mais procurados

Roupas são a principal opção de presentes para os pais. 59,8% dos entrevistados em Mossoró disseram que vão comprar algum item do vestuário. O segundo lugar ficou para perfumaria 13,9%.

A pesquisa aponta que a escolha desses presentes se deve principalmente à preferência de quem vai ganhar, aproximadamente 45% dos compradores colocam isso como prioridade. Entretanto, outros fatores também pesam na decisão, como preço do produto e a qualidade dos itens. Além disso, mais 10% das pessoas disseram buscar promoções e descontos. 

 

Os dados mostram que no atual contexto, é imprescindível uma estratégia competitiva para atuação no mercado, tendo em vista o menor volume massa salarial circulante e menor capacidade de endividamento das famílias.

 

Com informações da Fecomércio-RN


Autor: Assessoria de Imprensa


WhatsApp

Outras Notícias